SOLIDARIEDADE COM OS PRISIONEIROS NO CHILE! BOICOTE DE PRODUTOS CHILENOS

Um vento de revolta social e popular sopra sobre o Chile desde outubro de 2019

A repressão foi muito dura: dezenas de mortos (pelo menos 36), mais de 11.000 feridos, dezenas de milhares de detenções …

2.500 pessoas permanecem em prisão preventiva, sem julgamento, enquanto as acusações contra elas são freqüentemente insignificantes ou mesmo falsas. O estado busca sufocar os personagens rebeldes …

Os camaradas anarquistas chilenos fazem um apelo à solidariedade internacional para exigir a libertação de todos os detidos durante a revolta (leia abaixo).

Eles se propõem a enviar cartas exigindo sua libertação às embaixadas e consulados chilenos em tu país de residência

Além disso, propomos expressar nossa solidariedade, pedindo um boicote aos produtos chilenos enquanto nem todos os prisioneiros foram libertados. De fato, a economia chilena é totalmente exportadora e depende de sua imagem no plano internacional. O Chile exporta produtos alimentícios em particular (salmão, abacate, vinho, uvas, kiwis, etc.) e esta época de Natal e de celebrações de ano novo é o período durante o qual eles vendem mais

Liberdade, solidariedade !

companheiros da CNT-AIT na França


CHAMADO PARA A SOLIDARIEDADE DO CHILE, PARA OS ANARQUISTAS DO PLANETA

desde a revolta do povo chileno contra o aumento das passagens do metrô, dos serviços de transporte e da política neoliberal do governo chileno, que deu início a uma revolta popular que deixou mais de 11.300 pessoas detidas, 2.500 das quais são presos, muitos com investigações e sem condenações, em prisão preventiva. O que tem sido interpretado como uma ação de repressão política visando à ilegalidade do protesto.

Os presos que se encontram nas prisões do Chile desde 18 de outubro de 2019, estão privados de liberdade por quebrar uma catraca (que ficam na entrada das estações do Metrô), por acusações de Carabineros como testemunhas de incêndio, agressão à polícia, saques, barricadas, queima de igrejas e bancos, etc.

Muitas dessas acusações foram retiradas por falta de evidências reais ou porque a falácia das acusações foi comprovada. Portanto, para o público em geral, essas acusações são vistas como uma vingança por parte do poder e do Estado contra aqueles que se levantaram contra a elite dominante.

Desde os primeiros dias de dezembro deste ano, foi lançada uma campanha pela liberdade dos presos da revolta, o que tem pressionado deputados, ministros e governo a suspender a prisão preventiva e os presos podem cumprir o período de investigação com a prisão domiciliar, o mesmo tipo de condenação que tem sido proferida a policiais acusados ​​de violação de direitos humanos, seja por estupro, lesões graves a manifestantes, tortura e assassinato, dos quais um pequeno número está em prisão preventiva em quartel da polícia. policial.

Apelamos aos anarquistas do planeta para que se juntem a esta campanha e enviem cartas de repúdio ao governo do Chile através de suas embaixadas e consulados exigindo a liberdade imediata dos prisioneiros da Revolta Chilena. E pedimos a quem pode fazer manifestações fora de embaixadas, consulados e interesses de empresas chilenas que o façam.

SÓ A SOLIDARIEDADE É A ARMA DOS TRABALHADORES E DOS OPRIMIDOS AO ESTADO E AO CAPITAL.

Grupo Anarquista Germinal

Assembleia Anarquista do Bio Bio.

Laisser un commentaire

Votre adresse e-mail ne sera pas publiée. Les champs obligatoires sont indiqués avec *